terça-feira, 23 de agosto de 2011

Fomos Roubados!

Fomos roubados. Tão simples quanto o título foi o ocorrido.

Numa sexta-feira 12 (se fosse 13 poderia ser um conto), uma bicicleta foi deixada na estação de metrô Vl. Prudente, horas depois, quando a estação que funciona somente até as 21h já estava fechada, o dono volta onde havia prendido sua bike. Ela não está mais lá.
Funcionários do metrô nada sabem do ocorrido. Em apenas poucas palavras entregam um formulário ao moço e indicam uma delegacia para “Casos do metrô”, mesmo afirmando que o metrô nada tem haver com isso (incoerência?!).
Dois dias depois na delegacia, uma delegada atenciosa e um escrivão indignado incentivam o rapaz a procurar a Defensoria pública, mas mesmo assim o metrô nada tem haver com isso. Afinal não estava dentro da estação.
O caso não aconteceu comigo (obviamente, pois não sou um rapaz), foi com o Fa, mas a indignação e tristeza foi geral. E poderia ter acontecido comigo ou com qualquer um. Em mim ainda dói.
Ninguém se responsabilizou. Ninguém quer saber.  Mesmo sabendo que o bicicletário fica no terreno da estação, mas precisamente em frente à porta da estação. Ninguém sabe ninguém viu.
Quando coisas do tipo acontecem não consigo conter minha revolta e indignação. A perda pode ser considerada pequena para alguns, mas a questão não é essa! Era dele, ele pagou e confiou que no metrô isso não iria acontecer.
Fora isso bate aquela insegurança e a vontade de gritar bem alto. Fora isso não passeamos no dia 14 e não vamos mais passear por um bom tempo. Fora isso era o meio de transporte dele e não esporte ou lazer como alguns dizem.
E ainda tem a vergonha que bate no peito de morar num país onde um simples veículo de alguém que quer fazer a diferença não pode simplesmente ficar estacionado.
Estou decepcionada!
Foto: Metrô Vila Prudente

OBS.: Esta foto foi tirada esses dias, o para - ciclos em questão está ao fundo no lado direito da foto. Notem que apesar de ficar mais afastado, o mesmo está dentro do terreno do metrô, tanto é que há um totem escrito  Estação Vila Prudente bem atrás do para- ciclos. Será mesmo que o metrô não se responsabiliza?

Um comentário:

Faprasem disse...

E hoje tentei ligar na ouvidoria do metrô e ninguém atendeu! Estou com vontade de ir lá pessoalmente...